segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

RUMO


Dentro desse emaranhado
De confissões
e confusões,
Que transformamos
Nossas vidas,
Ficamos tão perdidos
Sem rumo.
Olhamos para
Todos os lados.
Não conseguimos
Sintonizar
No tempo e no espaço
Não achamos
O caminho
Preciso
De uma bússola
Para acertar
O rumo da vida

Lisboa 22/04/97