quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

VIDA DE NOVELA



Dona de casa é sempre dona de casa, faz todo dia seu servicinho e fica por ali, naquela de ver se já tem poeira nos móveis, se alguém sujou os copos, se o chão está limpinho, se vai chover e molhar as roupas que estão no varal, se já está na hora de arrumar o lanche.

Tem um horário que pra mim é sagrado é a hora da novela, não perco um capítulo. Num desses dias tomei meu banho e fui para a televisão.

Já perceberam, adoro novelas, elas me fazem sonhar, viajar, entro em suas fantasias, conheço pessoas (só pessoas ricas, bonitas, inteligentes e famosas) me apaixono pelo galã, mas na próxima novela já esqueci aquele e já arrumei outro.

Vocês entendem coisas de quem assiste novelas todos os dias. Às vezes chego a sonhar com o próximo capitulo. Penso...gostaria tanto de ter uma vida de novela... e o último capítulo então, vou confessar eu sofro, choro, é choro mesmo fico muito emocionada com final feliz dos principais personagens.

Estava eu tão envolvida nos meus personagens e... toca o telefone. Que susto, era meu marido me propondo algo diferente naquele dia. Esqueci a novela, meus galãs e tudo mais, também não era pra menos, é hoje que vou viver minha noite de novela.

Nossa, meu coração quase saiu pela boca, as pernas tremeram e quase perdi a voz, achei até que tinha entendido errado, na dúvida não perguntei nada aceitei rapidamente, vai que pergunto e ele muda de idéia.

Me arrumei toda, caprichei no perfume até batom passei, dei uma olhada no espelho e escutei a buzina do carro. Era ele, coloquei o sapato dei uma olhada básica no espelho e fui.

Entrei no carro feliz da vida, também mais de 20 anos de casamento e aquele convite em plena segunda-feira e no meio da novela, coisa totalmente fora da rotina, o que será que deu nele?

Ele me elogiou e fomos, conversinha amena, nem prestei atenção no caminho. Estava tão encantada com aquele convite, vira aqui, vai ali e paramos. Olhei, assim, meio espantada e falei: é aqui?

Ele respondeu com a maior naturalidade do mundo: é sim é aqui que se faz o melhor pastel da cidade.
Gente, confundi tudo, pensei que ele tinha me convidado para ir ao motel, mas era para comer pastel, isso é que dá ficar em casa fantasiando com novelas. Nunca mais vou viver vida de novela, essa só funciona na televisão, vida real é outra coisa.



Crônica publicada no Jornal Folha da Região - Araçatuba SP